Distintos convidados

Caras e caros colegas
Senhoras e Senhores

É-nos particularmente grato cumprimentar esta magnífica assistência e manifestar a todos e a cada um de vós o nosso reconhecimento por terem respondido ao nosso convite, honrando-nos com a vossa presença reconfortante e amiga.

 

 A Ordem dos Médicos Cabo-verdianos foi criada em Janeiro de 1998, depois de anos de um afincado trabalho de mobilização e organização. Assim, ela vai completar 20 anos de existência.

Ao período inicial de instalação, seguiu-se o de criação de condições de normal funcionamento, afirmando-se ela, paulatinamente, como um instrumento incontornável de defesa da dignidade da classe médica e de uma Medicina de qualidade, sempre ao serviço do desenvolvimento do Sistema Nacional de Saúde. Pese embora os desafios revelados pela análise do presente, é inquestionável que há um legado sobre o qual importa reflectir e projetar o futuro de forma realista.

Foi por esta razão que o Conselho Directivo da Ordem dos Médicos entendeu organizar as Comemorações do XX Aniversário sob o lema “UM LEGADO, NOVAS OPORTUNIDADES”.

Hoje, com este Acto de Proclamação das Comemorações do XX Anviversário da Ordem, damos início efetivo ao nosso propósito. Ao fazer esta proclamação, declaramos que é nossa intenção, valorizar o legado que é permanentemente avaliado, e também encarar os novos tempos e seus desafios, de forma a podermos vislumbrar novas oportunidades a serem postas ao serviço da Medicina e da Saúde em Cabo Verde.

Pode parecer demasiado pretencioso organizar uma cerimónia desta natureza, como o Ato de Proclamação das Comemorações. Porém, quando os objectivos são tão claros e nobres, o propósito torna-se aceitável e até recomendável.

Com efeito, trata-se de uma programação que vem sendo trabalhada há cerca de um ano por um bom grupo de colegas, mas também com a valiosa contribuição dos nossos parceiros e amigos.

Ao preparar as comemorações dos 20 anos de existência, o Conselho Diretivo Nacional entendeu que deveria organizar um programa que desse corpo ao desejo sempre afirmado de enaltecer um percurso, por vezes sinuoso, é certo, mas inegavelmente positivo e prestigiar e dignificar a classe, sempre numa busca constante de diálogo com a mesma (refiro-me à classe médica) e com a sociedade.

Fica asssim explicada a razão da escolha do lema das Comemorações “Um Legado, Novas Oportunidades”. É, pois sob este signo, que vamos realizar um conjunto de atividades em todo o território nacional para assinalar o 20º Aniversário da Ordem dos Médicos.

De facto, com esta Proclamação, estamos a marcar o início das Comemorações que vão ter como ponto mais alto o Congresso Internacional a realizar-se, simultaneamente, com o Congresso Médico Nacional, por ocasião do Dia Nacional do Médico, em Janeiro de 2018.

Com estas Comemorações pretendemos também reforçar o diálogo com as instituições parceiras, públicas e privadas, e com a sociedade. Acreditamos, ainda, que elas vão contribuir para a dignidade e o prestígio da classe médica cabo-verdiana, não como uma vaidade da classe, mas como uma necessidade e exigência da sociedade cabo-verdiana.

Aliás, já o dissemos noutra ocasião, igualmente solene e, creio ser de interesse, reafirmar que “os novos tempos requerem outra atuação da classe médica. Hoje, para enfrentar e ultrapassar os desafios presentes e futuros, o médico cabo-verdiano deve ser detentor de uma formação técnica, científica e ética cada vez mais sólida e de uma apurada competência cultural e humana”. Dizíamos também, na mesma altura, que só desta forma o nosso médico “poderá assumir a plenitude da sua missão e garantir o prestígio necessário à melhoria constante do seu desempenho”.

Se ao médico dos nossos dias, as competências técnicas e científicas são cada vez mais necessárias, as questões atinentes à ética e à deontologia não são menos importantes, pelo que devem ser aprofundadas. Devemos também dar especial atenção às competências sociais que nos habilitam mais para a compreensão da saúde e da doença e a aprimorar a nossa capacidade de comunicação com aqueles que precisam de nós, com as instituições públicas e privadas, com os nossos parceiros e sobretudo com a sociedade.

Afirmámos ainda naquela solenidade e repetimo-lo hoje, com igual convicção que é este médico competente e culto, comunicador e conhecedor da realidade social e cultural, que Cabo Verde precisa”. Voltamos a repetir que é este médico que a sociedade cabo-verdiana exige e bem.

Para que a classe médica continue a merecer respeito e consideração, a sociedade cabo-verdiana, hoje, mais instruída, mais informada e exigente, requer que o médico dos nossos dias tenha essas competências e habilidades que nós referimos.

Senhoras e Senhores

Pretendemos celebrar os 20 anos da organização profissional da nossa classe. Não vamos descurar a herança, assim como não vamos deixar nada obnubilar a esperança que as novas oportunidades nos trazem.

Naturalmente que, num momento como este, não vai ser possível, nem seria desejável, enumerar e fundamentar as várias ações programadas. Vamos sim, procurar cingir esta nossa proclamação a um esboço das Comemorações do XX Aniversário da Ordem dos Médicos Cabo-Verdianos subordinadas ao lema “UM LEGADO, NOVAS OPORTUNIDADES” e que hoje iniciam e devem durar 90 dias.

O que o Conselho Directivo Nacional quer, hoje, através deste ato simbólico, a Proclamação das Comemorações, é dar público conhecimento público do conjunto dessas atividades que a Ordem dos Médicos pretende levar a cabo durante cerca de três meses.

Sabemos que não estamos sós. Contamos com o apoio do Ministério da Saúde, dos Hospitais Centrais e Regionais, das Delegacias de Saúde e outras estruturas e também de vários parceiros de eleição, muitos aqui presentes, da Comunicação Social e da sociedade em geral.

É assim que, prevemos um leque alargado de programação, englobando actividades científicas, sociais, culturais, institucionais e outras, destacando-se alguns momentos importantes.

O primeiro é seguramente este: o Ato da Proclamação das Comemorações, proposto com um firme propósito de manter e elevar o diálogo com a classe, com os parceiros e com a sociedade.

Da série de atividades sociais, podemos referir e as Conferências com universitários e eminentes especialistas convidados que vão falar de questões que nos interessam e um Colóquio com os Bastonários, os anteriores e o atual.

Podemos afirmar, sem sombra de dúvidas, que o ponto mais alto das Comemorações vai ser a realização do III Congresso Internacional da Ordem dos Médicos e o Congresso Nacional Médico, durante três dias, com um leque variado de temas, rigorosamente selecionados e em conformidade com sugestões específicas emanadas de reflexões internas levadas a cabo durante vários meses.

A realização destes Congressos vai permitir também evidenciar o forte legado e os desafios que ele comporta, bem como as novas oportunidades que, a bem dizer, estarão sempre presentes durante todo o período das Comemorações. Neste evento maior, contamos a presença e participação de altas individualidades do Estado na abertura e encerramento, de vários convidados de países amigos, especialmente da Comunidade Médica de Língua Portuguesa, de paceiros nacionais e, naturalmente, de médicos cabo-verdianos.

Pretendemos, também, que nestas Comemorações, a cultura esteja presente. Foi por isso que, como se verá adiante, da programação, consta um diversificado programa cultural.

Para além destas actividades, estão programadas outras de cariz institucional, como uma cerimónia de gratidão e reconhecimento, uma Sessão Evocativa do Dia Nacional do Médico, a assinatura de alguns Protocolos e a Assembleia Geral e, ainda outras de carácter desportivo e recreativo.

Senhoras e Senhores

A opção por Comemorações com um cariz marcadamente descentralizado e abrangente, em termos temáticos e de actividades, assim como a possibilidade de transmissão do Congresso por videoconferência não vão deixar de dar um toque mui especial à nossa merecida celebração.

Ao levar as actividades a todas as ilhas, a Ordem faz justiça ao contributo permanente que os seus membros e parceiros em todas as Ilhas têm dado à nossa organização de classe e ela abre portas para uma maior dinamização das suas acções em prol da saúde das nossas populações.

Trouxemos este programa de comemorações para conhecimento prévio do público, através desta Proclamação, porque para o sucesso almejado, a Ordem necessita de um amplo apoio e participação sem reservas. Antes de mais, dos próprios médicos, mas também dos muitos outros que aqui vimos referindo.

Para um efectivo cumprimento da programação e o brilho que se pretende, apostamos num amplo envolvimento dos órgãos nacionais, regionais e outros da Ordem, bem como das estruturas de Saúde, nomeadamente os Hospitais Centrais e Regionais e as Delegacias de Saúde e, obviamente de todos os médicos.

Assim, a Ordem dos Médicos conta com o envolvimento de todos os seus associados, pede o apoio dos parceiros e espera que a Comunicação Social, que se tem revelado uma importante parceira, continue a colaborar connosco na divulgação deste programa e dos seus objetivos.

Para terminar, resta-nos dizer que é uma enorme alegria para nós, estarmos aqui perante esta formidável assistência e é com satisfação inerranável que nós proclamamos o início oficial das Comemorações do XX Aniversário da Ordem dos Médicos Cabo-verdianos, sob o lema “UM LEGADO, NOVAS OPORTUNIDADES”.

A todos os presentes, os nossos reiterados agradecimentos por terem respondido favoravelmente ao nosso convite.

Muito Obrigado.

Praia, 2 de Novembro de 2017

/Daniel Silves Ferreira/

-Bastonário-