A rede das cidades saudáveis, cuja criação conta com o alto patrocínio da Organização Mundial da Saúde (OMS), estará formalizada até Dezembro de 2017. Santo Antão, São Vicente e São Nicolau serão as ilhas abrangidas na primeira fase, formando uma espécie de “núcleo fundador” da rede das cidades saudáveis.

Foi nesta esta terça-feira que a cidade do Porto Novo recebeu um encontro dos diferentes parceiros envolvidos na criação da rede a fim de discutirem a proposta dos estatutos desta associação que, segundo o edil portonovense, Aníbal Fonseca, tem por finalidade promover cidades saudáveis tanto do ponto de vista de saúde, como também urbanístico, ambiental, cultural e desportivo.

Na primeira etapa, a rede das cidades saudáveis abarcará as ilhas de Santo Antão, São Vicente e São Nicolau, podendo depois abranger os restantes municípios do país, explicou Aníbal Fonseca, que enalteceu o engajamento dos autarcas na criação dessa rede.

O presidente da Câmara Municipal do Paul, António Aleixo, acredita, por sua vez, que a rede das cidades saudáveis, cuja sede será no Mindelo, será uma plataforma de coordenação das políticas que contribuem para a melhoria das condições de vidas nas urbes, em Cabo Verde.

O representante da OMS em Cabo Verde, Mariano Salazar, que falava, via videoconferência, a partir de São Vicente, acredita também que essa rede, que terá uma componente segurança, contribuirá para uma abordagem dos problemas de saúde pública que atualmente afetam Cabo Verde.

FONTE: Inforpress