São Vicente é a ilha com maior número de consumidores declarados, segundo o Inquérito sobre a Prevenção do Consumo de Álcool e Drogas. Esta prevalência, diz Elísio Silva, delegado de Saúde de S. Vicente, provoca uma série de outras consequências nefastas como o aumento de casos de suicídio e de tuberculose.  

Elísio Silva afirmou em entrevista à TCV, à margem do lançamento da campanha da Presidência da República “Mais Vida, Menos Álcool” na cidade do Mindelo, que 9,6 por cento dos óbitos registados fora do âmbito hospitalar, ou seja 2,4 em cada 25 óbitos, tem como causa o alcoolismo.

A mesma fonte deu conta ainda que “mais de 80%” dos enforcamentos registados nos últimos anos em São Vicente – que “estão a aumentar” –  têm na base o alcoolismo, e que “os picos de aumento da tuberculose” têm –se registado na ilha após eventos como o Festival da Baía das Gatas, o Fim de Ano e o Carnaval.

Manuel Faustino, chefe da Casa Civil da Presidência da República, considera que o combate ao alcoolismo, um “problema gravíssimo”, passa por “educar, convencer e explicar”, mas também por “impor a autoridade” que a lei autoriza.

E neste quesito, São Vicente está a tomar medidas importantes, como a iniciativa “quase revolucionária” da câmara municipal de proibir publicidade de bebidas alcoólicas em outdoors.

Fonte: TCV/ Inforpress